Apoio Pedagógico

O acompanhamento personalizado de cada aluno implica, em determinadas situações, o estabelecimento de  Planos de Apoio, com vista ao sucesso educativo, levados a cabo pelos diferentes professores de cada turma de forma coordenada e sujeita a avaliação sistemática.

– 1º CICLO

Os alunos que, no 1º ciclo, revelam desfasamento face aos objetivos/metas/competências de aprendizagem previstos, são objeto de sinalização por parte dos professores, com o apoio do serviço de psicologia, com vista ao estabelecimento de Planos de Apoio.

O Plano de Apoio é um documento que define estratégias, adequadas às características individuais e  que pretendem apoiar cada um na aquisição das aprendizagens e competências em défice.

Do horário dos alunos (em tempo extra letivo) consta um tempo semanal de apoio pedagógico, da responsabilidade de um dos professores titulares de turma de cada ano de escolaridade, que visa a promoção de competências em défice nos alunos sinalizados em cada grupo e para os quais foram criados Planos de Apoio ou de Recuperação.

A sinalização desses alunos é da competência do professor titular de turma, do Serviço de Psicologia, do Conselho de Docentes do 1º Ciclo.

– 2º E 3º CICLOS

Os alunos que, no Colégio e no 2º e 3º ciclos, revelam desfasamento face aos objetivos/metas/competências de aprendizagem previstos, são objeto de sinalização por parte dos professores do conselho de turma ou do diretor de turma, com o apoio do serviço de psicologia, com vista ao estabelecimento de Planos de Apoio.

O Plano de Apoio é um documento que define estratégias, adequadas às características de cada um e que pretende apoiá-lo na aquisição de aprendizagens e competências em défice.

Integrando os Planos de Apoio dos alunos sinalizados, os horários das turmas, em tempo extra letivo, constam tempos semanais de apoio pedagógico, da responsabilidade de professores das diferentes disciplinas; geralmente Português, Inglês, Matemática, Físico-Química, que visam:

– Promover a melhoria de competências, proceder ao esclarecimentos de dúvidas, promover e orientar o estudo autónomo dos alunos.

– Promover a aquisição de competências que se encontrem desfasadas dos objetivos previstos para uma determinada disciplina e/ou para o conjunto da turma em que o aluno se insere.

A sinalização desses alunos para frequência destes apoios é da competência do professor da disciplina, do Conselho de Turma, do Serviço de Psicologia ou da Direção.

– Ser uma estratégia complementar de todo o trabalho realizado no âmbito das aulas de cada disciplina;

– ENSINO SECUNDÁRIO

Os Planos de Estudos dos cursos do ensino secundário poderão ser reforçado nos tempos letivos (carga horária) de disciplinas nucleares para as aprendizagens previstas em cada curso e sujeitas a avaliação final externa/exames finais nacionais; com a realização de visitas de estudo que enriqueçam cognitiva, cultural, histórica ou artisticamente os alunos, quer em Portugal quer no estrangeiro; com a participação em Projetos Especiais, realizados no âmbito do Projeto Educativo do Colégio.

considera-se importante otimizar as situações de aprendizagem, prevendo Planos de Apoio com vista ao sucesso educativo dos alunos e levados a cabo pelos diferentes professores de cada turma de forma coordenada e sujeita a avaliação sistemática.

A elaboração de qualquer tipo de Plano pressupõe sempre a elaboração de uma caracterização do aluno da qual devem constar as principais dificuldades/ competências em défice bem como as suas potencialidades. Sempre que o Conselho de Turma ou Professor julgar pertinente, poderá elaborar um Plano de Apoio para alunos cujo défice face às competências previstas (transversais ou específicas de determinada disciplina) seja motivo de especial cuidado.

O Apoio Pedagógico Interno visa:

–  promover a aquisição de competências, por parte dos alunos, que se encontrem desfasados dos objetivos previstos para uma determinada disciplina e/ou para o conjunto da turma em que o aluno se insere;

–  rever conteúdos estruturantes de anos letivos anteriores;

– ser uma estratégia complementar de todo o trabalho realizado no âmbito das aulas de cada disciplina, não excluindo (até pressupondo) um esforço individual suplementar no sentido da aproximação das competências estipuladas;

– orientar o estudo e o trabalho a realizar na preparação dos exames nacionais;

– consolidar os conteúdos, competências e/ou métodos de resolução de exercícios trabalhados em aula;

No Ensino Secundário, a frequência das Aulas de Apoio é livre e aberta a todos os alunos nela interessados.